Arquivo para abril \19\UTC 2012

Oração da Gestante

Oi meninas!

 

Como vocês gostaram do texto da Martha Medeiros, resolvi publicar essa oração linda por aqui também. É linda!!!!

 

ORAÇÃO DA GESTANTE

Deus bendito e misericordioso
Eu agradeço pelo dom da vida
Agradeço pela vida desta criança que cresce dentro de mim
Agradeço pelo seu amor que está modelando e formando a vida desta criança à imagem da perfeição divina
Agradeço por modelar a mente desta criança
Agradeço por modelar seus ossos
Agradeço por modelar seu destino e imprimi-lo em seu coração
Agradeço por encher com sua luz amorosa todo o ser desta criança
Agradeço por saber seu nome e chamá-la enquanto ela ainda está se formando
Agradeço por me fazer amá-la antes mesmo de nascer
Agradeço pelos alimentos que me dão vida e energia enquanto esta criança cresce dentro de mim
Agradeço por conceder-me um repouso sereno e por me proteger de todo mal e perigo enquanto esta criança cresce dentro de mim
Neste exato momento, entrego em suas mãos todas as minhas preocupações a respeito da saúde e bem-estar da preciosa vida que cresce no interior do meu corpo
Neste exato momento, convido sua graça, sua misericórdia e a amorosa luz dasua presença a inundar meu ser e sustentar a vida que cresce dentro de mim
Prepare-me para este parto. Prepare meu espírito. Prepare meu corpo.
Dê-me paciência para viver os desconfortos da gravidez e transforme qualquer incômodo em energia para o bem estar desta criança
Abençoe a mim e a esta criança, para que seu nascimento transcorra de modo tranqüilo e sem esforço, sob a graça da sua paz.
Confio esta criança aos cuidados dos seus anjos
Confio todo o meu ser aos Seus cuidados
Dou graças e louvores por esta vida abençoada que cresce dentro de mim
Acolha a minha prece, encha-me de confiança no seu cuidado e proteção
Faça com que a criança que espero se torne uma pessoa de bem, e que o mundo seja melhor com sua presença

Por tudo isso, eu dou muitas graças
E assim seja
Amém

Anúncios

Vende-se Tudo – texto de Martha Medeiros

Li esses dias e resolvi postar aqui. Espero que gostem!! 🙂

 

No mural do colégio da minha filha encontrei um cartaz escrito por uma mãe, avisando que estava vendendo tudo o que ela tinha em casa, pois a família voltaria a morar nos Estados Unidos. O cartaz dava o endereço do bazar e o horário de atendimento. Uma outra mãe, ao meu lado, comentou:
– Que coisa triste ter que vender tudo que se tem.
– Não é não, respondi, já passei por isso e é uma lição de vida.
Morei uma época no Chile e, na hora de voltar ao Brasil, trouxe comigo apenas umas poucas gravuras, uns livros e uns tapetes. O resto vendi tudo, e por tudo entenda-se: fogão, camas, louça, liquidificador, sala de jantar, aparelho de som, tudo o que compõe uma casa.
Como eu não conhecia muita gente na cidade, meu marido anunciou o bazar no seu local de trabalho e esperamos sentados que alguém aparecesse. Sentados no chão. O sofá foi o primeiro que se foi. Às vezes o interfone tocava às 11 da noite e era alguém que tinha ouvido comentar que ali estava se vendendo uma estante. Eu convidava pra subir e em dez minutos negociávamos um belo desconto. Além disso, eu sempre dava um abridor de vinho ou um saleiro de brinde, e lá se iam meus móveis e minhas bugigangas.
Um troço maluco: estranhos entravam na minha casa e desfalcavam o meu lar, que a cada dia ficava mais nu. No penúltimo dia, ficamos só com o colchão no chão, a geladeira e a tevê. No último, só com o colchão, que o zelador comprou e, compreensivo, topou esperar a gente ir embora antes de buscar. Ganhou de brinde os travesseiros.
Guardo esses últimos dias no Chile como o momento da minha vida em que aprendi a irrelevância de quase tudo o que é material.
Nunca mais me apeguei a nada que não tivesse valor afetivo.
Deixei de lado o zelo excessivo por coisas que foram feitas apenas para se usar, e não para se amar. Hoje me desfaço com facilidade de objetos, enquanto que torna-se cada vez mais difícil me afastar de pessoas que são ou foram importantes, não importa o tempo que estiveram presentes na minha vida.
Desejo para essa mulher que está vendendo suas coisas para voltar aos Estados Unidos a mesma emoção que tive na minha última noite no Chile.
Dormimos no mesmo colchão, eu, meu marido e minha filha, que na época tinha 2 anos de idade. As roupas já estavam guardadas nas malas. Fazia muito frio. Ao acordarmos, uma vizinha simpática nos ofereceu o café da manhã, já que não tínhamos nem uma xícara em casa.
Fomos embora carregando apenas o que havíamos vivido, levando as emoções todas: nenhuma recordação foi vendida ou entregue como brinde.
Não pagamos excesso de bagagem e chegamos aqui com outro tipo de leveza:
“só possuímos na vida o que dela pudermos levar ao partir,”é melhor refletir e começar a trabalhar o DESAPEGO JÁ!
Não são as coisas que possuímos ou compramos que representam riqueza,plenitude e felicidade.
São os momentos especiais que não tem preço, as pessoas que estão próximas da gente e que nos amam, a saúde, os amigos que escolhemos, a nossa paz de espírito.

O que fazer com as coisas do bebê???

Berço, cadeirão, andador, carrinho: taí quarto itens indispensáveis na vida dos bebês. Durante os primeiros dois anos de vida da criança, são usados todos os dias. Não dá pra imaginar a vida sem eles. Fora que foram escolhidos com todo o cuidado, imaginando os bons momentos que seriam passados em família. Mas…e depois? Como eu sabia que queria outro filho logo em seguida, guardei tudo em um cantinho lá em casa (apertaaaado!!!). E agora que conquistei meu casalzinho e a “Fábrica de Bebês” será desativada, estou pensando no que fazer com esses trambolhos depois. Um dos carrinhos (cor-de-rosa!) que saiu pra rua umas três vezes no máximo e o jogo de berço imenso da Alice que está em um fardo de tecido já vão pra negócio!

Uma boa pedida é a venda  Brasil em sites de anúncios gratuitos. Tirar fotos de vários ângulos do carrinho/bouncer/andador/berço/ufa!, colocar as características, contar em que estado está – não vale mentir, né? Dizer que está novinho em folha quando na verdade está furado ou manchadinho não vale! – fixar um preço e esperar alguém arrematar. Sou uma que estou procurando um carrinho específico para o Gui e dando uma olhada nesse tipo de site.

Outra opção são os brechós, que compram ou trocam por outras coisas os itens que você leva. Mas como geralmente nos brechós tem somente outros artigos de bebê, não adianta trocar. E a venda sai com o precinho um pouco abaixo do que devia, já que o brechó ainda vai repassar o produto que você levou para os clientes dele.

Só não dá pra deixar as coisas do bebê atiradas em casa quando ele  já estiver crescidinho. Além de ocuparem um baita espaço (quem aí mora em um apartamento pequenino levanta a mão! EU!), é uma graninha que deixa de entrar. Afinal, haja verba para tanta Barbie e carrinhos de contole remoto!

Imagem: Free Vector File

Cadê meu pé 36?

Sempre ouvi falar que na gravidez o pé aumenta um número. E que mesmo depois do bebê nascer, o número maior fica “de herança”. Na gravidez da Alice, o meu pé 36 virou 37, mas depois do parto voltou ao normal. E agora estou calçando 37 novamente. Nem minhas sapatilhas e rasteirinhas servem mais.O inchaço está tão grande que hoje vim trabalhar de havaianas (ABAPHA! ABAPHA!)!!!!!!!!

Olho as prateleiras de sapatos e suspiro. Vontade de me jogar em plataformas, botas, scarpins….mas e o medo de dar perda total depois de junho? Sapatos bonitos e confortáveis não são baratos para serem descartados daqui a dois meses! Mas e se o pé ficar 37 forever? Daí não terei comprado um parzinho sequer?

As leitoras que são loucas por sapato estão entendendo o que eu quero dizer, não? Como encarar um início de estação sem levar um parzinho pra casa????????? Ou então, como escolher um só???????

O jeito vai ser experimentar minhas botas antigas, ver se alguma serve e encarar. E pensar que inverno que vem terei bônus PARA COMPRAR SAPATOS EM DOBRO!!!!!!

Cabelo Duas-Cores!

Alguns obstetras falam que pode. Outros, não deixam a futura mamãe  passar perto do colorista. E agora? A minha faz a linha general e não me permitiu retocar minhas luzes. Estou com o cabelo meio loiro-meio castanho-meio escuro. E a auto estima láááááááá embaixo! Podem dizer que é moda, que a guru da internet brasileira Thássia Naves usa, mas EU NÃO GOSTO!!

Leio na internet matérias que falam que pode pintar, que não tem problema nenhum, leio em blogs histórias de mulheres grávidas que pintaram…

Mas e o medo? E a consciência pesada “se algo acontecer”? E mesmo estando confiante de que nada acontecerá, com que cara chegar de cabelo loiríssimo na próxima consulta?

Alguém está passando pela mesma situação que eu?

 

Oie!!!!!!!!

Helloooooooooo!!!!!!!!

Sumi do blog, né?

Não queria contar por aqui o motivo, mas vou compartilhar com vocês: tive gastroenterite.  Acho que todo mundo sabe o que é, né? E esse desconforto é causado por bactérias que contaminam os alimentos. E no hospital em que eu estive, contaram que está em época de surto!!!!!!

Portanto, muito cuidado na hora de comer fora de casa!! Alimentos crus, ovos, todas essas coisas que todas sabemos que são perigosas: é melhor evitar.

Desculpem por contar essa intimidade por aqui, e vamos voltar a ativa!

 

Beijão!

 

 

Donna Fashion Kids Iguatemi – O LOUNGE!!

Uma das partes mais gostosas do Donna Fashion é o Lounge. É nele que os convidados se encontram e batem um papo, que os fotógrafos saem a caça de looks para alimentar blogs e site de estilo e também onde os patrocinadores do evento apresentam suas novidades. Nessa temporada, Fiat, Avon, Schutz e Bibi foram os parceiros da vez. E lá fomos nós dar uma volta e conferir tudinho. Vejam só:

No último dia, os petiscos de Marcelo Jacobi foram substituídos por pipoca!

No último dia, o lounge da Schutz se transformou em Bibi! As duas são marcas de calçados queridinhas das mamães fashionistas, não? No espaço da Bibi, as crianças customizavam caixas de sapato que viravam bonecos. Quando a obra de arte terminava, as meninas da Bibi entregavam uma sacola para guardar o boneco, um par de cadarços ultrafashion e um catálogo da coleção de inverno.

Do outro lado, o Lounge da Fiat. Além das mamães conhecerem os carros com pegada fashion da marca (oi, Freemont!), os pequenos ganhavam livrinhos autografados pela querida Leia Cassol. A Alice AMOU o dela e já lemos umas 20 vezes! O mascote Gino Passione também estava sendo distribuído. Fooooofo!!!!!

E não podemos esquecer a Avon!!!! Era só passar na frente do lounge para ser “sugada” por aquele monte de esmaltes e maquiagens! Alicinha não resistiu e pediu para retocar o batom rosa!!!!

Espero que tenham gostado de passear pelo Donna Fashon Iguatemi conosco, meninas!

Fotos: Cegonhas e Franco Rodrigues


Twitter

Junte-se a 67 outros seguidores

PARCEIRO

Vou me Casar